Stolthaven Santos e Complexo do Pecém se unem para desenvolver Hub de Exportação de Hidrogênio Verde

Stolthaven Santos e Complexo do Pecém se unem para desenvolver Hub de Exportação de Hidrogênio Verde

A Stolthaven Terminals e o Complexo Industrial e Portuário do Pecém, joint venture formada pelo Governo do Estado do Ceará e o Porto de Rotterdam, na Holanda, anunciaram hoje, a assinatura de um Memorando de Entendimento (MoU) para o estudo de um novo terminal de armazenagem no Porto do Pecém, no Brasil. O terminal se concentrará em fornecer serviços de armazenamento e manuseio de hidrogênio verde e produtos associados.

O Porto do Pecém está localizado no Estado do Ceará e possui grande potencial para geração de energia eólica e solar, fundamental para a produção de hidrogênio verde. A Zona de Processamento e Exportação local é totalmente integrada ao Porto do Pecém, que está conectado a uma ampla rede de distribuição de gás. Como o maior porto da Europa, o Porto de Roterdã está bem posicionado para fornecer informações e conhecimentos valiosos, pois já está se preparando para operar como a porta de entrada de hidrogênio verde da Europa. As opções para o terminal de Pecém incluem um depósito alfandegado de amônia, matéria-prima utilizada na produção de hidrogênio.

Marcelo T. Schmitt, Gerente Geral da Stolthaven Santos disse: “Estamos felizes e motivados em fazer esta parceria com o Complexo Industrial e Portuário do Pecém, que apoia nossa estratégia de longo prazo de investir em logística sustentável da cadeia de suprimentos. A Stolthaven Santos está comprometida em apoiar a transição energética global, deixando de depender de combustíveis fósseis para fontes de energia mais verdes. Nossa experiência na operação de terminais de última geração, juntamente com nosso compromisso de sustentabilidade e valores compartilhados com nossos parceiros, tornam esta oportunidade muito empolgante”.

Estamos muito satisfeitos com a assinatura deste Memorando de Entendimento (MoU) com a Stolthaven, empresa de reconhecida expertise não só no Brasil, mas no mundo. Nossas equipes, de Pecém e Stolt, já estão trabalhando em estudos técnicos que nos permitirão avançar na viabilidade de implantação do projeto na área do terminal portuário de Pecém”, adicionou Danilo Serpa, CEO do Complexo do Pecém.

A Stolthaven Santos

A Stolthaven Santos tem 40 anos de experiência no armazenamento de químicos de especialidade, óleos vegetais, etanol industrial e farmacêutico e combustíveis no Brasil. A sustentabilidade e excelência na prestação de serviços está no centro de sua estratégia de negócios e operações.

A Stolthaven Terminals

Com uma rede global de 15 terminais próprios e joint ventures, a Stolthaven Terminals possui  quase cinco milhões m3 de armazenagem de Classe Mundial e distribuição de líquidos à granel,  incluindo produtos químicos, produtos derivados de petróleo, gases liquefeitos de petróleo, óleos vegetais, biocombustíveis e oleoquímicos. Nossa missão é entregar valor aos nossos clientes através da operação de terminais de última geração que complementem  as capacidades de nossas empresas irmãs – Stolt Tankers e Stolt Tank Containers –  garantindo uma interface ship-to-shore eficiente com o objetivo de reduzir custos e facilitar cadeias de suprimentos ágeis e competitivas. Tudo dentro de um ambiente de  qualidade garantida, segurança  e  proteção ambiental.

A Stolthaven Terminals é uma divisão da Stolt-Nielsen Limited (SNL), investidor de longo prazo e gestor de negócios  focado em oportunidades em logística, distribuição e aquicultura. O portfólio da Stolt-Nielsen consiste negócios globais de logística de granéis líquidos e químicos  – Stolt Tankers, Stolthaven Terminals e Stolt Tank Containers, da Stolt Sea Farm, e investimentos em gás natural liquefeito. A Stolt-Nielsen Limited está listada na Oslo Stock Exchange (Oslo Børs: SNI).

 O Complexo de Pecém

O Complexo do Pecém é formado por três grandes frentes: Área Industrial, que possui algumas das principais unidades fabris do nordeste brasileiro; Porto do Pecém, um terminal offshore de classe mundial, que em 2022 movimentou mais de 22 milhões de toneladas; e a ZPE Ceará, a primeira Zona de Processamento e Exportação a operar no País, que conta com a primeira siderúrgica integrada do Nordeste e uma nova área de mais de 1.900 hectares para receber novos investimentos.

Lançado em fevereiro de 2021 pelo Complexo do Pecém, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e Universidade Federal do Ceará (UFC), o Hub de Hidrogênio Verde (H2V) tem como objetivo transformar o território cearense em grande fornecedor global deste tipo de combustível, contribuindo diretamente para a descarbonização do planeta.

Crédito da imagem: Divulgação

Artigos relacionados

Deixa um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *