Movimentação de cargas nos TUPs cresce aproximadamente 5% em 2021

Movimentação de cargas nos TUPs cresce aproximadamente 5% em 2021

Os TUPs (Terminais de Uso Privado) contribuíram significativamente para a economia brasileira em 2021. O setor portuário privado apresentou crescimento de 4,98% na movimentação de cargas em 2021, quando comparado ao ano anterior. Foram 801 milhões de toneladas de carga movimentadas, contra 760 milhões em 2020. Os dados são do Anuário Estatístico da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), apresentado nesta quarta-feira (2), em Brasília.

A movimentação geral de cargas do setor portuário, somados os portos públicos e privados, foi de 1,210 bilhão de toneladas em 2021. O número representou um crescimento de 4,8% em relação a 2020. Os TUPs seguem respondendo por mais de 66% do total de movimentação de cargas no país.

Entre os TUPs, o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira (MA) foi a instalação que mais movimentou cargas em 2021, com 182,4 milhões de toneladas, apesar da queda de 4,7% em relação ao ano anterior. O Terminal de Tubarão (ES) ficou em segundo lugar, com 64,139 milhões de toneladas (+14,2%). Em terceiro, o Terminal Aquaviário de Angra dos Reis (RJ), que movimentou 64,085 milhões de toneladas em 2021, com incremento de 6,4% em comparação com 2020.

O presidente da ATP (Associação de Terminais Portuários Privados), Murillo Barbosa, destaca os números ascendentes do setor portuário privado brasileiro e sua contribuição para a retomada econômica nacional. Segundo ele, é preciso que o Governo e o Parlamento reconheçam a importância do setor portuário privado e atendam a demandas do segmento, como a prorrogação do Reporto, vetada após aprovação da BR do Mar.

“Os dados do anuário atestam, mais uma vez, a atuação estratégica dos terminais privados e seu impacto positivo para a economia. O estímulo a mais investimentos do setor privado no país é fundamental para a ampliação dessa contribuição e um dos instrumentos principais do setor portuário é justamente o Reporto. O setor segue as tratativas no Congresso Nacional para a derrubada do veto”, explica.

PERFIS DE CARGA

Ainda segundo os dados da Antaq, os perfis de carga que mais cresceram em movimentação em relação ao ano passado foram: carga geral (+11,3%), contêineres (+11%), granel líquido (+8%) e granel sólido (+1,8%). Apesar de ser um dos perfis mais afetados pela pandemia, a movimentação de contêineres registrou incremento de 11%, com 133, 1 milhões de toneladas. Com isso, a participação dos contêineres na movimentação total do setor portuário foi também de 11%.

Em relação às principais cargas movimentadas, o minério de ferro continua sendo o maior destaque em quantidade. Foram 370,4 milhões de toneladas movimentadas em 2021: um aumento de 4% em comparação com 2020. O Terminal de Ponta da Madeira (MA) foi a instalação que mais movimentou minério de ferro no Brasil. No ano passado, foram 182,3 milhões de toneladas.

A apresentação do anuário contou com a participação do diretor-geral da Antaq, Eduardo Nery, e diretores da agência, Adalberto Tokarski e Flávia Takafashi, além do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas e do secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni. Os dados do Anuário Estatístico da Antaq podem ser encontrados também no DataPort, banco de dados da ATP (Associação de Terminais Portuários Privados), que reúne em uma única plataforma os principais dados do setor portuário nacional.

Crédito da imagem: Timelab Pro/Unsplash

Artigos relacionados

Deixa um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *