Malha ferroviária de SP terá aporte de R$ 6 bi e geração de 134 mil empregos

Malha ferroviária de SP terá aporte de R$ 6 bi e geração de 134 mil empregos

Digiqole ad

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (19) investimentos de R$ 6 bilhões na reestruturação da malha ferroviária de São Paulo. O anúncio faz parte do Retomada 21/22, plano anunciado dia 16 para impulsionar a economia do estado. A modernização vai gerar 134 mil empregos diretos e indiretos ao longo da concessão. Grande parte das obras deverá ser concluída nos seis primeiros anos e vai proporcionar a expansão de capacidade da ferrovia de 35 milhões para 75 milhões de toneladas por ano.

“É a maior ampliação do transporte ferroviário do estado de São Paulo dos últimos 50 anos e é o primeiro grande anúncio do plano de retomada da economia 21/22. Estão previstas duplicações, reativações de trechos inativos, ampliação de pátios e modernização total da ferrovia”, disse Doria. “Esta ação solidifica a posição do estado de São Paulo como principal corredor de exportação do agronegócio brasileiro, levando desenvolvimento e geração de emprego e renda para o estado de São Paulo e, obviamente, gerando benefício concreto para todo o país”, completou o Governador.

O empreendimento será realizado pelo Grupo Rumo Logística. Os investimentos na nova malha ferroviária vão atender 72 municípios paulistas. Ao todo, cerca de 5 milhões de pessoas serão beneficiadas com mais segurança viária. Entre as cidades, estão Campinas, Catanduva, Cubatão, Limeira, São Carlos, São José do Rio Preto e Votuporanga.

A Malha Paulista forma junto com a Malha Norte o principal corredor de exportação do agronegócio brasileiro. Essas duas malhas conectam a cadeia produtiva do Centro-Oeste do País ao Porto de Santos. Com os investimentos anunciados em São Paulo, serão recuperados dois ramais desativados: Colômbia-Pradópolis (185,6 km) e Panorama-Bauru (369,1 km), que cortam o estado em direção ao Porto de Santos. No primeiro caso, o ramal passa por entroncamentos logísticos em Bebedouro e Barretos; no segundo, atravessa cidades como Bauru e Dracena.

“Com os investimentos e modernização da Malha Paulista, São Paulo volta ao protagonismo como principal eixo de ferrovia do país”, destacou João Alberto Abreu, Presidente da Rumo.

O sistema de logística e a eficiente distribuição dos produtos do estado de São Paulo são parte fundamentais do desenvolvimento econômico do País em qualquer época, e ganha importância ainda maior a partir de agora, para ampliar o desenvolvimento econômico de São Paulo e do País.

A malha administrada pela Rumo conecta todas as regiões do estado com um conceito de multimodalidade, tendo integração com a hidrovia Tietê-Paraná e com a malha rodoviária estadual. “Investir cada vez mais no nosso sistema de logística e transportes é o caminho para gerar empregos, reduzir o custo de transportes e contribuir para o desenvolvimento econômico do Brasil. Estamos trabalhando na reestruturação de uma nova matriz logística de São Paulo, que vai oferecer modelos mais eficientes para a movimentação de cargas e mercadorias, com a integração do vários meios e modais, garantindo, assim, maior agilidade e também maior segurança”, afirmou Priscila Ungaretti, Secretária Executiva de Logística e Transportes.

A Malha Paulista é uma das mais diversificadas do País, sendo responsável pelo transporte de soja, farelo de soja, milho, açúcar, combustíveis, fertilizantes, celulose, minérios e contêineres.

Benefícios

O trem é a opção mais sustentável em longas distâncias. Enquanto um trem com 100 vagões emite 15,82 g de CO2/ eq TKU (tonelada quilômetro útil), um caminhão emite 100 g. São necessários 357 caminhões para substituir um trem com o número de vagões citado.

As obras

Estão previstas duplicações e reativações de trechos, ampliação de pátios, modernização da via e melhora na mobilidade nas cidades cortadas pela ferrovia (contornos ferroviários, viadutos, passarelas). Essa modernização irá gerar mais segurança e eficiência operacional, maior capacidade para o sistema ferroviário, redução no tempo de trânsito das composições e redução do custo operacional.

Além disso, os investimentos eliminarão os conflitos entre ferrovia e zonas urbanas em 32 municípios do estado, entre eles Campinas, Catanduva, Cubatão, Limeira, São Carlos, São José do Rio Preto e Votuporanga. Foto: Ministério da Infraestrutura

Artigos relacionados

Deixa um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *