Logística de medicamentos e itens de saúde cresce 22% na Andreani

Logística de medicamentos e itens de saúde cresce 22% na Andreani

Demanda aquecida no setor de logística de medicamentos e produtos de saúde. De bandeira argentina e mais de 20 anos de atuação no Brasil, a Andreani viu aumentar em 22% a quantidade de volumes transportados no primeiro quadrimestre de 2022, em comparação com o mesmo período do ano passado.

“No segmento farmacêutico e de saúde, as operações logísticas tornaram-se ainda mais sensíveis para atender ao boom provocado pela pandemia”, comenta o gerente comercial Ramon Peres. A Covid-19, aliás, reforçou o posicionamento da empresa junto ao canal farma, que já representa 72% dos negócios.

A operadora atende desde fabricantes – Abbott, Johnson & Johnson, Novartis e Pierre Fabre – até distribuidoras de medicamentos especiais (Oncoprod) e players do varejo como a RaiaDrogasil. A Andreani exerceu ainda um importante papel para viabilizar o acesso a vacinas, por meio de contrato com o Instituto Butantan e a gestão logística integral da Sputinik V, do recebimento em aeroportos à armazenagem e distribuição na Argentina.

Aposta em novas tecnologias para logística de medicamentos

Para absorver essa crescente demanda, a companhia priorizou a implementação de uma série de novas tecnologias, com investimentos aproximados de R$ 10,5 milhões. Os recursos contemplaram capacitação da equipe, atualização de softwares e ampliação da frota.

“Além disso, adotamos uma ferramenta de e-commerce para medicamentos, monitoramento de temperatura, oferta de embalagens térmicas qualificadas para transporte de vacinas, serviço de transporte DTA – Declaração de Trânsito Aduaneiro para mercadoria importada e rastreabilidade de medicamentos”, completa Peres.

“Somos uma extensão da indústria farmacêutica, onde atuamos com serviços que vão desde a armazenagem em ambiente com temperatura controlada e gestão de estoque, até montagem de kits promocionais, impressão inkjet, rotulagem, embalagem, selagem e nacionalização de produtos. Podemos também promover uma logística “in house”, quando nossos colaboradores trabalham dentro das instalações do cliente”, explica o executivo.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Foto: Divulgação

Artigos relacionados

Deixa um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *