5 estratégias de logística para e-commerce na alta temporada do varejo

5 estratégias de logística para e-commerce na alta temporada do varejo

Digiqole ad

Vendas bem-sucedidas na internet costumam ser resultado de uma boa experiência do consumidor desde o primeiro acesso no site até a chegada do pedido após a compra. A internet funciona como uma vitrine virtual para o varejo e, em períodos de alta demanda como a Black Friday e o Natal, ter boas estratégias de logística são um importante atrativo do comércio eletrônico para conquistar clientes.

Ao passo que as operações de entrega se tornam cada vez mais essenciais para os e-commerces que desejam avançar em seus nichos de mercado, muito em função do olhar mais interessado do consumidor em prazos de entrega mais rápidos, variadas opções de preço e de frete, promoções, segurança, e qualidade do serviço prestado, avançam estratégias relacionadas ao setor.

Ricardo Hoerde, CEO da Diálogo Logísticaempresa especializada em entregas de itens leves para lojas físicas e de e-commerce, separou 5 estratégias para investir e gerenciar as entregas com sucesso diante das altas demandas de fim de ano. Confira:

 

1- Planejamento e Organização

O último bimestre do ano costuma reservar um aumento de vendas significativo para o setor do comércio e no universo online o crescimento da movimentação de mercadorias pode resultar em problemas para o negócio caso não haja planejamento e organização adequados para atender um público cada vez mais exigente, num cenário competitivo e em que a reputação pode ser elevada ou rebaixada em poucos cliques. É preciso investir na gestão de oferta e demanda, visando o controle de estoque, com atenção e cautela; garantir um sistema de atendimento e resposta rápido e eficaz; e se certificar que o transporte das mercadorias seguirá os prazos planejados e chegará ao destino final sem sobressaltos, para evitar desgaste no relacionamento com o cliente. Uma boa forma é fazer network com e-commerces de outros segmentos para verificar a efetividade da empresa de logística com a qual você pretende trabalhar no período.

 

2- Tecnologia

O avanço da tecnologia no campo logístico é um dos fatores que mais agrega ao e-commerce e nos períodos de elevação de pedidos feitos online pode ser um diferencial para quem quer conquistar o cliente frente a concorrência. Investir em tecnologia ou empresas de logística mais tecnológicas possibilida, por exemplo, agilidade e assertividade na coleta e análise de dados referentes a cada um dos pedidos feitos em seu comércio online. Outra ação é verificar se a transportadora escolhida possibilita o rastreio em tempo real da mercadoria para que os próprios clientes consigam acompanhar o processo de entrega dos volumes. Nos armazéns de distribuição recursos que facilitem a localização dos produtos em estoque também são indicados para melhorar a previsão de entrega para cada cliente.

 

3- Logística Last Mile

O alinhamento entre os e-commerces e as transportadoras escolhidas para a realização dos fretes deve considerar a efetividade da logística de last mile envolvida na operação. O conceito refere-se a última etapa de entrega da mercadoria no destino indicado pelo consumidor, que deve ocorrer da melhor forma possível para não prejudicar a satisfação do cliente durante a experiência de compra. São formas de garantir atenção à logística de last mile: a escolha por empresas de transporte que possuam entregadores suficientes e capacitados para atender a demanda que está por vir; parceiros comprometidos com cuidados de higiene e segurança visando reduzir os riscos de transmissão do novo coronavírus; e a utilização de aplicativos de comprovação de recebimento do produto “real time” para agilizar as informações relacionadas a cada entrega.

 

4 – Logística Reversa

A maioria dos e-commerces concentra seus esforços em garantir a entrega de seus produtos no tempo e termos acordados com os clientes, mas deixa de lado um fator importante: a logística reversa, que refere-se ao processo de devolução ou troca de uma mercadoria. Essa movimentação pode ocorrer por vários motivos, como a compra de um produto errado; peça danificada; mercadoria diferente da adquirida; ou mesmo a desistência da compra. Com a alta da demanda é esperado também um aumento nesse número de devoluções e para manter os clientes satisfeitos o ideal é fazer uma estimativa desse volume e otimizar o processo de logística reversa, mantendo o cliente satisfeito e com maior probabilidade de fidelização. Dentre as alternativas destaca-se a terceirização dos serviços de logística reversa por empresas especializadas.

 

5- Omnichannel

As estratégias de omnichannel (multicanal) estão em alta no mercado por conta da produtividade, redução de custos e melhoria na experiência de compra dos clientes. Sobretudo em período de alta demanda, essa estrutura será crucial em termos de competitividade por viabilizar entregas mais rápidas a preço justo. O omnichannel se destaca, por exemplo, pelas operações Ship From Store, que utiliza o estoque de lojas físicas para atender pedidos online. Os benefícios são mútuos: para o varejista possibilita utilizar o estoque disponível na loja mais próxima do cliente final, gerando entregas mais ágeis, baratas e satisfatórias; para a transportadora é uma forma de otimizar o serviço e aumentar a produtividade, uma vez que aproveita as rotas de entrega para realizar as coletas nas lojas; e, para o consumidor, que terá maior portfólio de produtos à disposição e receberá a mercadoria mais rápido, na loja mais próxima ou em casa. Foto: Divulgação

Artigos relacionados

Deixa um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *